Carregando...
 

Displasia Coxofemural e sua relação com a adoção e o abandono de cães

A Displasia Coxofemural é a má formação da bacia, que resulta em um encaixe incorreto da cabeça do fêmur no quadril.
Causa atrito entre o fêmur e o quadril e desgasta a cartilagem da articulação, ou seja, causa artrose, que provoca dor e em alguns casos torna o cão inválido.
É de origem poligênica, ou seja, há vários pares de genes involvidos na trasferência genética, o que dificulta o controle.
Sabe-se, por experiência em controles rígidos como na criação do Pastor Alemão, que depois de 6 gerações de cães sem incidência de displasia, é bem provável que as próximas gerações não sofram do mal.

Adotamos um Boxer encontrado na rua, o Kirk, e ele começou a andar "muito dianteiro", só pulando a traseira e tracionando quase que totalmente na dianteira. Desconfiei, levei para tirar um Raio-X e descobrimos que ele tem displasia grave.
Ele tem displasia porque não vem de uma criação séria.
Agora terá que sofrer cirurgia para reduzir um pouco os efeitos do mal, que não tem como ser 100% resolvido cirurgicamente.
Veja, o Kirk é membro da família, e não mediremos esforços para ele continuar a ter uma vida confortável e feliz como tem sido desde que se mudou lá para casa.

MAS acredito que muitas pessoas, ao se deparar com a possibilidade de gastar uma pequena fortuna em seu companheiro, o abandonam por aí.

Sem prolongar muito o assunto, acho louvável a adoção de cães, mas quem o faz precisa ser informado dos eventuais problemas de saúde e comportamento que terão que lidar.

[]s,
Guilherme