Carregando...
 

Instrumentos de corda brasileiros para crianças

Pensei nestas opções por causa se uma certa frustração no ensino de música para meus filhos.

Inicialmente optei por um Ukelele e, assim que as primeiras músicas começaram a sair, percebi a decepção deles pela sonoridade "nada a ver" com os instrumentos que o pai toca.

O Henrique, o caçula, gosta muito do som da viola, mas acho que cordas duplas de aço atrapalham o aprendizado. E o Gustavo curte mais violão. Até temos opções de violões em tamanho reduzido, mas pela experiência que tive, tamanho reduzido, escala reduzida e afinação padrão de guitarra com cordas normais não fica lá muito bom...

Minha sugestão é a criação de dois instrumentos infantis:

Requinto

Este "é das antigas", mas fabricantes como a Yamaha estão vendendo parecidos renomeados como "Guitalele". A afinação original do Requinto é lá - mi - dó - SOL - RÉ - LÁ (A2-D3-G3-C4-E4-A4).

Seria um violão com escala também de 530mm e 540mm, pestana de 44mm e a caixa um pouco menor também.

No mercado internacional há várias opções de cordas, como por exemplo na seção dedicada na Strings by Mail, e conforme publicado nesta página do Wikipedia nesta data:

"The requinto guitar has six nylon strings with a scale length of 530 to 540 millimetres (20.9 to 21.3 in), which is about 18% smaller than a standard guitar scale.Requintos are tuned: A2-D3-G3-C4-E4-A4 (one fourth higher than the standard classical guitar)."

Experimentei o jogo "STI PRO-SPEC CUSTOM GAUGE - Candelas Signature Set - Requinto Romântico" em um Di Giorgio Picollo de 2008 e obtive excelentes resultados de timbre e afinação, mas a tocabilidade seria comparada à um jogo "tensão alta".

 

Violiota

Esta sugestão é bem parecida, mas com propósito distinto, que seria de introduzir as crianças nas afinações abertas em 5 ordens de cordas, principalmente "Cebolão" e "Rio Abaixo".

Seria uma viola de escala curta, entre 530mm e 540mm, afinada por exemplo em Cebolão Sol ou até Cebolão Lá, e com 5 cordas de nylon apenas, o que acho que seria uma opção excepcional para aprendizado, ou talvez 5 cordas de aço.

Ainda, sugiro que a Violita tenha o corpo em formato ponteio e estilo mais tropeiro.

Apesar de não ser nenhuma revolução, seria de fato um instrumento novo e mais de caráter infantil.

Já o Requinto, garanto que muitos marmanjos adorariam manter um para uso próprio, o que abriria espaço para escalas mais largas, talvez até mesmo 52mm de pestana, e madeiras de primeira linha.